“É estupidez odiar o mundo,
porque não leva a nada.
Seja sofrimento e prazer,
são efeitos dos próprios atos”

Por Kyoukou Hagui.

Por que o ser humano muitas vezes pode se tornar arrogante, ignorante e estúpido? Será que é falta de instrução? Falta de amor? Falta de carinho?

Independente dos vários motivos que possam existir, o que o budismo nos ensina é que a causa de todos os problemas do ser humano na verdade se encontra dentro de seu próprio coração. Ao agir como um animal perverso e sem noção, as pessoas descontam toda sua raiva nos outros, e tornam-se incontroláveis sempre que algo não é de acordo com o que pensam, ou quando suas ideias são contrariadas. E agem de maneira arrogante. Começam a menosprezar e ridicularizar a família e amigos. No trânsito, se transformam em verdadeiros perseguidores. No futebol, torcedores brigam e agridem uns aos outros. E depois se arrependem das coisas horríveis que fizeram.

Odiar o mundo é pura ignorância. O correto seria melhoramos a nossa atitude como verdadeiros seres humanos.

Você que procura o Budismo Primordial, veja que tudo na vida pode ser transformado, caso queiramos nos transformar em pessoas melhores. Tudo depende da vontade própria. Pois se mudar seu pensamento e se disser para si mesmo que “a partir de hoje, neste instante, quero ser melhor para todos”, isso pode ser realizado. Depende de si mesmo. Livre-se de pensamentos e ações maléficas.

Insira em seu coração o Mantra Sagrado NAMUMYOUHOURENGUEKYOU, pois esta oração vai permitir encontrar a paz de espírito que existe dentro de seus pensamentos, olhando para si mesmos e dizendo: “Vou agir de forma sensata e tentarei ser compassivo perante a todos que vivem ao meu redor”.

Tudo que fizemos até agora de bom ou ruim, vamos colocar na calculadora da fé. E que com a força da fé, subtraia o nosso carma negativo.

Na matemática diz, menos com menos se torna positivo. Então na nossa vida, quando passamos por muitas dificuldades e obstáculos, com certeza o resultado será positivo.

Citação do Grande Mestre Nissen Shounin:

“Segundo um ditado, a semente que não é plantada não germina. Então está definido que a semente plantada germinará, seja do bem ou do mal. Não acreditar nos ensinamentos budistas também é uma semente. Acreditar também é uma semente. Não duvide que haverá o prêmio ou o castigo. Quem não entende a lei de causa e efeito é chamado de tolo e até de malvado.”

Ou seja, o que acontece na sua própria vida é o mérito do seu próprio carma. Quando acontece algo ruim é porque plantou uma semente ruim. Por isso, é importante não plantar outras sementes ruins, não reclamar do mundo, compreender sempre a lei de causa e efeito, refletir e se esforçar no aprimoramento de si mesmo.

Ao mesmo tempo, é preciso plantar as boas sementes através das virtudes da prática do Odaimoku, das conversões e das orientações compassivas, e assim poderemos receber um grande mérito, que é a tão
almejada bênção.