A era Kamakura (1185 a 1333) em que o Grande Mestre Nitiren Daibossatsu realizou a expansão do Darma, foi uma era de sucessivas calamidades muito mais assustadoras do que as de hoje. E a tese “Risshou Ankokuron” (O Estabelecimento do Ensino Correto para Pacificar a Nação), mais famosa escritura do Grande Mestre Nitiren D., escrita aos seus 36 anos de idade, começa com as seguintes palavras:

“Certa vez, um viajante, em lamentação disse: Dos últimos anos aos dias recentes, fomos assolados por fenômenos atípicos no céu e na terra. A fome e epidemia alastram-se por toda a parte e as estradas estão repletas de esqueletos de bois e cavalos nelas tombados. Mais da metade da população já foi dizimada e não há uma pessoa sequer que não lamente tal situação.” (Shouwa Teihon p.209 / HBS Gomyouhanshuu V.2 p. 25)

「旅客来りて嘆いて曰く、近年より近日に至るまで天変地夭、飢饉疫癘、遍く天下に満ち、広く地上に迸る。
牛馬巷に斃れ、骸骨路に充てり。死を招くの輩、すでに大半を超えたり。これを悲しまざるの族、あえて一人も無し」
(Ryokaku kitarite nagueite iwaku, kinnen yori kinditsu ni itaru made tenpentiyou, kikin ekirei, amaneku tenka ni miti, hiroku tidyou ni habikoru.
Gyuuba timata ni taore, gaikotsu miti ni miteri. Shi o maneku no tomogara, sude ni taihan o koetari. Kore o kanashimazaru no yakara aete itinin mo nashi.)

Esse texto não é uma escrita em que o Grande Mestre tenha exagerado nos fatos. Nos documentos históricos da época consta:

– Em 1257, fevereiro: Houve um grande terremoto em Kyoto. Em Abril foi enchente em Kyoto, e também houve um grande terremoto em Kamakura onde os templos xintoístas, budistas e todas as casas tombaram, além disso a terra partiu e as montanhas desmoronaram. De acordo com historiadores, devido a esses acontecimentos, estima-se que da população de 300 mil pessoas de Kamakura, morreram 100 mil.

– Em 1258 devido ao temporal com vendaval na primavera, o começo do verão ainda estava frio, e isso impediu o crescimento das mudas de arroz. Em julho, devido ao forte calor e estiagem, os Cinco Tipos de Cereais secaram (Painço, Sorgo, Arroz, Trigo, Soja).

– Em agosto, um vendaval com chuva provocou uma grande enchente. Com isso metade da população morreu. Em 1259, alastrou-se uma epidemia incontrolável, e sem nada poderem fazer houve aumento de refugiados surgindo também saqueadores em várias regiões. E em Kyoto, para saciar a fome, uma monja teve que se alimentar de um cadáver. São fatos de um cenário de inferno.

E tudo isso está detalhadamente escrito na obra medieval histórica “Azuma Kagami”, da época.

O Shogunato, liderado pelo comandante Hojo, ordenou aos monges de diversas religiões para fazerem as preces pela eliminação dos infortúnios, mas as calamidades só aumentavam. Por lamentar tal situação Nitiren Daibossatsu realizou pregações em locais públicos de Kamakura, fazendo a orientação compassiva de que essas calamidades estavam sendo causadas pelas heresias cometidas por todo o Japão. Fez a orientação compassiva de que, as calamidades piorariam caso não deixassem as crenças hereges para devotar o Verdadeiro Darma do Sutra Lótus. E mesmo alertando através do shakubuku, membros de outras religiões e do shogunato passaram a difamá-lo espalhando que “Nitiren deve estar contente, já que a praga que jogou está funcionando”.

No entanto, Nitiren Daibossatsu ainda prenunciou que, se o povo não parasse com as heresias, ainda aconteceriam mais fatos temerosos como:

1) Fenômenos atípicos no céu e na terra.

2) A divisão do Japão por rebeliões internas.

3) O Japão seria invadido por outros países.

E ao concluir que “O país decididamente seria arruinado” fez a orientação compassiva ao Shogunato da época entregando-lhe a escritura “O Estabelecimento do Ensino Correto para Pacificar a Nação” (Risshou Ankokuron)

800 anos depois

Atualmente, devido ao COVID-19, um vírus completamente desconhecido de todos, tanto no nosso país como nos países estrangeiros, muitos foram infectados e muitos estão morrendo. E para prevenir a contaminação, fecharam escolas, empresas, lojas e pedem insistentemente para permanecermos em casa. Se Nitiren Daibossatsu surgisse neste mundo atual, como será que Ele orientaria os fiéis do Budismo Primordial? Provavelmente Ele nos repreenderia dizendo: “Por estarem em débito com as atividades religiosas, o mundo todo está sofrendo pelo COVID-19. Todos devem se empenhar na prática da fé, com mais determinação e vigor, e fazer a orientação compassiva ensinando aos que ainda não são fiéis”. Certamente estas seriam suas palavras compassivas.

Por decretos e restrições, atualmente não temos mais tanta liberdade de participar nos cultos e recebermos os ensinamentos. E com isso corremos o sério risco de relaxarmos na prática da fé, tal como leigos descrentes.

Estará tudo bem se agir igual a um leigo?

Se não pode participar aos cultos no templo, vamos fazer as preces de erradicação do COVID-19, com fervor, durante entoação do Odaimoku nos cultos da sua casa. Se não pode ouvir o discurso religioso, tire da estante um livro editado pela HBS, leia e tente fazer o aperfeiçoamento da prática ascética. Se em meio a esta catástrofe COVID-19 agir como num período de férias, assim como um descrente, ocorrerá o declínio e todos iremos à bancarrota. Justamente quando as pessoas não se movimentam, é que os fiéis se ocupam em plenas atividades. Para isso existem vários meios como correio, telefone e tantas outras facilidades da civilização.

Se és um verdadeiro devoto do Grande Mestre Nitiren Daibossatsu, esta é a oportunidade para se dedicar às orações e propagação do Darma Sagrado, e assim, transformar a calamidade em felicidade. Essa é a nossa sagrada missão.

The Butsuryu Shimbun n.726. Jun/2020
Sumo Pontífice Emérito, Koyama Nitijyou Shounin
http://www.honmon-butsuryushu.or.jp/public/item/pl68354123.pdf