Verso do Grande Mestre Nissen Shounin nº 3152

“Pensa que oferta virtudes
apenas às pessoas do mundo.
Mas na realidade todas elas
retornam para si mesmo.”

Por Sentoku Haikawa

Este é um verso do Grande Mestre Nissen Shounin.

Na parte superior do verso de hoje o Grande Mestre Nissen Shounin cita a palavra “virtudes”. Na língua japonesa, chama-se de Kudoku, e é composta de dois ideogramas: (ku ou kou) praticar o bem, e (toku) o resultado desta prática.

Boas ações geram bons frutos, quanto más ações geram maus frutos. E o kudoku (virtudes), pode-se dizer, é a semente das boas ações, das ações positivas que implicarão na felicidade presente e futura.

Vejamos, por exemplo, o contraste que existe entre uma pessoa que desfruta do bom e do melhor sem muito esforço, e a outra, que leva uma vida sacrificada mesmo trabalhando bastante.

A diferença entre essas duas pessoas é a consequência do volume de virtudes de cada uma. A primeira acumulou mais virtudes em suas vidas anteriores o que, lamentavelmente, não deve ter ocorrido com a
segunda pessoa.

Ao tirarmos, portanto, a lição do exemplo acima, não devemos desperdiçar no presente a oportunidade que temos de praticar boas ações, para não passarmos por privações no futuro, como consequência da
falta destas virtudes.

No âmbito espiritual, uma ótima forma de dedicar-se ao próximo é ajudando na preservação e propagação dos ensinamentos do Buda Primordial. Por este motivo, práticas como o desprendimento na
prática do Gohouko (atividades religiosas voluntárias em prol do Darma Sagrado), a oferta material (oferecimento ao Templo, doações à instituição), ou o ofusse (oferta ao monge) são excelentes formas de
acúmulo de virtudes.

Muitas vezes achamos que não estamos ganhando nada em troca, mas este é um pensamento equivocado. Quando realizado de coração puro a virtude será imensa.

Se dedicarmos nosso ato de oferecer esforços às demais pessoas, criaremos uma corrente de boas ações e todos podem sair ganhando.

Por isso, se desejamos alcançar a verdadeira felicidade, devemos deixar de lado a nossa ganância e egoísmo, e acumularmos mais virtudes, dedicando-se à prática do bem ao próximo, à prática do altruísmo, a prática do Bossatsu, através da orientação compassiva e semeando o Darma Sagrado.