Incenso

(por Bispo Sentoku Haikawa)

Eu ouvi, certa vez, a seguinte explicação para o incenso: “É um palitinho que a gente acende uma ponta e sai uma fumacinha”.

Achei bastante interessante e deveras criativa explicação

Mas, para quê serve? O que significa?

O incenso é usado em cerimônias religiosas desde os tempos primitivos.

No budismo, o incenso remonta aos seus primórdios, desde o período do próprio Buda.

Há quem diga que o hábito da queima de incenso começou pois Buda gostava do aroma, ou ainda que o incenso beneficia o espírito dos falecidos.

O que podemos notar de fato é que a queima de incenso proporciona um ambiente adequado para a prece e para a meditação ativa. 

Independente de quaisquer circunstâncias, assim como as flores, o importante é que o oferecimento do incenso seja realizado ao Gohouzen – seja no Altar Sagrado da residência ou do templo.

Também é importante lembrar que o incenso nunca deve ser queimado em vão. Isto é, aproveitar o tempo da queima do incenso pronunciando o Mantra Sagrado Namumyouhourenguekyou a maior quantidade possível.

Verso do Grande Mestre Nissen Shounin nº2405

“Ao lustrar o Altar de Buda, iluminá-lo
e adorná-lo com flores e incensos,
estará gerando grandes virtudes
e felicidade para si próprio.”