Verso do Grande Mestre Nissen Shounin nº 1507
Por Jyunshou Yoshikawa

“Ter ou não ter a fé
se manifesta
na participação
ou não nos cultos.

Este Verso nos ensina sobre a importância da participação aos cultos matinais.

Há 2.700 anos na Índia, as pessoas se reuniam para receber os ensinamentos pregados pelo Buda Shakyamuni. Cada local de compartilhamento desta receita para a Iluminação, se tornava um local sagrado e de imensuráveis virtudes.

Depois do ocultar do Buda Shakyamuni, os budistas começaram a construir Templos nas montanhas para buscar um local tranquilo e silencioso para uma melhor meditação e dedicação à vida ascética de modo a não serem influenciados pela vida mundana.

Mas, nesta era moderna, os Templos se instalaram dentro da sociedade para atender e servir a maioria da população que mora na cidade e não pode se isolar nas montanhas. O Budismo do Grande Veículo acredita que a paz vem do seu interior e a Iluminação se alcança em conjunto e não de modo individual.

Desde então, o Budismo Primordial segue fielmente estes ensinamentos que são retransmitidos e praticados nos cultos celebrados dos Templos.

Participar dos Cultos Matinais é na verdade se aproximar da maior fonte de energia, a mesma causa e essência da iluminação do Buda Primordial, que é a Imagem Sagrada, o Mandala, o Gohonzon.

Além disso, poderá receber os ensinamentos diários das prédicas e receber qualquer tipo de orientação de um Monge.

Mas, você pode se questionar: – Com tantas outras preocupações e afazeres no dia a dia, o que eu ganho acordando mais cedo e me programando para participar nos cultos no Templo?

A resposta está na seguinte citação do Grande Mestre Nitiren Daibossatsu:

“A ave que se aproxima do Monte Sumeru se tornará dourada.”

Em todo Templo do Budismo Primordial é transmitido os ensinamentos do Buda, por isso é um local tão sagrado quanto o Monte Sumeru, local da pregação do Sutra Lotus. E todos que se aproximarem e pisarem neste solo sagrado receberão imensuráveis virtudes que transformam a gente. Mesmo um pássaro, que não compreende os ensinamentos, se pousar nesse local sagrado é tingido pelas suas virtudes.

Pode parecer muita exigência, mas assim com a arte marcial exige disciplina, a prática da fé também é uma disciplina.

Contudo, muitas pessoas confundem disciplina com “prisão” ou sofrimento e por isso acham que liberdade é sinônimo de felicidade. Acreditam que liberdade é ter uma vida desregrada e sem limitações. Mas isso, na verdade é a maior fonte de sofrimento. Se quer sucesso em tudo na vida, então deverá inserir disciplina, até mesmo para a alegria e a felicidade.

O Budismo Primordial prega que a felicidade está aqui, e não lá na frente…

Ninguém nasce pronto e quem tem essa consciência, vem ao Templo justamente para recarregar as energias, para refletir e para se preparar para sempre poder recomeçar. É o local onde constantemente renovamos os nossos votos de comprometimento pela harmonia da vida.

O budismo é a religião da consciência, ou seja, temos consciência da nossa própria inconstância, que somos imperfeitos e por causa disso continuamos a trilhar o aprimoramento pessoal.