O 26º Sumo Pontífice da Honmon Butsuryu Shu, Takassu Nitiryou Shounin, esteve em visita ao Brasil do último dia 27 de outubro a 6 de novembro. Durante esse período, a maior autoridade do Budismo Primordial peregrinou pelos Templos e transmitiu Prédicas Religiosas (Gohoumon).

Os ensinamentos religiosos da HBS têm como característica principal iniciarem e terminarem com um verso escrito pelo Grande Mestre Nissen Shounin (Gokyouka).

O Gohoumon abaixo foi proferido no Templo Hompoji (Londrina), Templo Honmyoji (Sarandi) e Templo Nissenji (Presidente Prudente), onde atuavam os Bispos Hakuze Ferreira, Bispo Kyoushou Oliveira e Bispo Kyouryu Morais, respectivamente.

Nossos agradecimentos aos que possibilitaram a divulgação deste conteúdo, em especial ao Bispo Eishin Suzuki, Bispo Jyunsho Yoshikawa e Sacerdote Gyoushuu Tadokoro, que traduziram o material abaixo.

 

 

ご教歌(3331)

われ死んで 遠い処へ 行でなし
Ware shinde tooi tokoro e yuku de nashi
どこへもゆかぬ こゝにゐるぞよ
doko e mo yukanu koko ni iru zoyo

“Quando eu morrer não irei
a nenhum lugar distante.
Não vou a lugar algum
pois aqui permanecerei.”

 

Neste verso o Grande Mestre Nissen Shounin nos ensina que, ao morrermos, não partimos a nenhum lugar distante e nem para um outro mundo. E que na verdade, a nossa alma permanece aqui para sempre, não indo a lugar algum.

Agora há pouco oferecemos orações póstumas aos Bispos Ferreira Hakuze, Oliveira Kyoushou e Morais Kyouryu. Após seus falecimentos, como em um sonho, se passou um ano. E pode ser que algumas pessoas estejam se perguntando, mas para onde eles foram? O verso de hoje responde exatamente esta pergunta.

Ou seja, a alma de Nissen Shounin, mesmo após a sua morte, assim como em vida permanece viva dentro da nossa fé. Este é um princípio fundamental na fé que praticamos dentro do Budismo Primordial.

Todavia, no pensamento das pessoas que não praticam a fé permeia a sensação de que após a morte todos viajamos para um outro mundo num lugar distante.

Mas podemos dizer que não. Até mesmo Buda que, na Índia, manifestou a sua ocultação física, em outros Sutras e ensinamentos provisórios (transmitidos nos primeiros 42 anos de pregação), prega que Buda faleceu uma vez e que não poderíamos mais reencontrá-lo. Poderíamos ter apenas seus Ensinamentos. Por isso deveríamos caminhar utilizando o seu Darma como uma lamparina, mas não buscar a salvação nele, pois Buda não estaria mais aqui.

Isto porque, até aquele momento, todos conheciam apenas o Buda que se ordenou aos 19 anos, e após 12 anos de prática ascética atingiu a iluminação, iniciando a salvação das pessoas pela primeira vez.

Mas ao pregar o Sutra Lótus, Buda revelou o seu verdadeiro sentimento. Revelou que, de fato, num passado incalculavelmente remoto e inimaginável, já vinha praticando o caminho de Bossatsu e que como resultado dessa prática havia atingido a iluminação suprema.

E desde então vem salvando ininterruptamente os seres, assim como no futuro continuará salvando.

Buda, primordialmente, pregando dessa forma revela seu desejo e determinação contínua de salvar todos os seres. Em outras palavras, Buda pode parecer ter partido, mas na verdade sempre esteve aqui e jamais partiu, pois a sua alma é eterna.

Assim como todos nós, Buda manifestou a morte dentro de um ciclo inevitável da vida. E também porque, se fisicamente permanecesse vivo para sempre, as pessoas se acomodariam e passariam a menosprezar os ensinamentos. Portanto, Buda fisicamente apenas se ocultou.

Esta fundamentação se encontra no Sutra Lótus capítulo 16º.

 

Citação do Sutra Lótus:

“Eu permaneço sempre presente no Mundo Saha pregando e convertendo.”

 

Ou seja, Buda declarou que sempre permaneceu presente no Mundo Saha, onde também sempre estará ao lado de todos nós, pregando o Darma e realizando as conversões.

E exatamente dessa mesma forma, Nissen Shounin que aparentemente faleceu, não foi a nenhum lugar distante, permanece em nossa Matriz Mundial e nos altares residenciais, nos Gohouzen de todos os fiéis. Assim declara neste verso de hoje.

A mesma coisa pode ser dita em relação aos três bispos falecidos. Todos eles faleceram, mas não foram a nenhum lugar distante, permanecem no Gohouzen (Altar Sagrado) do Templo e observando, atenciosamente, todos nós. Ou seja, sempre que todos vierem ao Templo, poderão reencontrar com eles.

No Sutra Lótus consta a expressão: “Paixão sedenta”.

Isto é, para aquele que busca o encontro com Buda, da mesma forma que busca saciar uma paixão sedenta, Buda se manifestará. Da mesma forma, Hakuze-Shi, Kyouryu-Shi e Kyoushou-Shi também se manifestarão.

Mas para isso, assim como consta no Sutra, existem três condições:

  • Fudishaku shinmyou – Não poupar a própria vida.
  • Oshie ni somukanai – Não transgredir os ensinamentos.
  • Itaidoushin – Mesmo em corpos diferentes vivermos um espírito único.

Quando cada fiel preenche essas três condições, a expansão prospera e todos se tornam merecedores das bênçãos.

 

O Grande Mestre Nitiren Daibossatsu nos ensina:

“Quem desconhece a gratidão é um animal.”

E assim foi dito.

 

Ou seja, a gratidão é algo que nos mantém humanos, caso contrário decairíamos a um estado animal ou inferior a isso. E para que isso não aconteça é importante cada um de nós lembrarmos da gratidão aos nossos bispos falecidos e nos esforçarmos na prática da fé.

 

Citação do Grande Mestre Nissen Shounin:

“Se neste mundo Saha praticar os ensinamentos deixados pelo Grande Mestre Nitiren dedicando-se de corpo e alma à expansão do Odaimoku, não haverá outro prazer, pela certeza de que quando vier a morrer retornará à Terra Pura de Buda onde se encontra o Grande Mestre Nitiren.” (Coleção Nissen. Vol 8 Pag 241)

E assim foi dito.

 

Se neste mundo Saha nos esforçarmos na prática da fé, exatamente como Nitiren Daibossatsu nos ensina, orando, promovendo a expansão e realizando as atividades religiosas de corpo e alma, poderemos reencontrar os nossos mestres antecessores. Por assim ser, devemos nos esforçar nas atividades religiosas com prazer e afinco.

Portanto repito, nossos três Bispos não foram para nenhum lugar distante, se encontram dentro da fé fervorosa de cada fiel. Por isso é importante cada fiel praticar a fé diariamente e se esforçar na prática das atividades religiosas.

É isso que transmite este verso do Grande Mestre Nissen Shounin.