Segue abaixo a tradução feita pelo Bispo Suzuki da Prédica Religiosa proferida pelo Vice Secretário Geral da Honmon Butsuryu Shu, Kamei Nitikai Shounin, no Grande Culto de Ano Novo da Catedral Budista Nikkyoji, em 15 de Janeiro de 2017.

Na ocasião, foi celebrado também o Culto Póstumo de 49º dia de Falecimento dos Bispos Morais, Ferreira e Oliveira, que receberam seus respectivos Títulos Póstumos.

 

 

 

 

Verso do Grande Mestre Nissen no. 2318

人ならば 因果の道理 わきまへよ

Hito naraba inga no douri wakimae yo

さらばみのりに うたがひもなし

saraba minori ni utagai mo nashi

 

“Por ser humano tenha em mente

a lei da causa e do efeito.

Sendo assim, não há como

dúvidar do Darma Sagrado”

 

Uma coisa importante para nós como seres humanos, é ter a exata consciência de que tudo neste mundo é controlado pela lei da Causa e Efeito.

Na fé, praticando-se com isto sempre em mente, um dia nos tornamos capazes de compreender como as coisas funcionam e quais consequências elas trazem. Dissipamos a dúvida, e confirmamos a fé. E assim, conseguimos praticar a fé de maneira ainda mais profunda. Este verso nos ensina, então, a refletir a respeito de nossas ações, se elas estão de acordo com a Lei de Causa e Efeito ou não.

Buda nos ensinou que, se nós não criarmos o hábito de refletir sobre o nosso presente através do passado, e refletir sobre as virtudes que nós temos, através da Lei de Causa e Efeito, mesmo que aperfeiçoe em algo na vida, nunca será um aperfeiçoamento de verdade.

Por mais que o ¨agora¨ esteja bom, não temos como nos distrair por um instante. Não se pode olhar este mundo de forma demasiada frouxa. É preciso ver as virtudes que possui, as sementes que plantou no passado, por vários e vários ângulos. Nós que somos fiéis, devemos lembrar que os mestres nos ensinam dos 3 tempos: passado, presente, futuro, o carma negativo profundo do passado e das virtudes que se adquire com o esforço no presente. Se tiver isto em mente, saberemos como é importante a fé no dia-a-dia, e que não podemos negligenciar com uma fé relaxada.

Mas, as pessoas nesta sociedade atual moderna, quando não compreendem bem algo, não fazem questão de pensar muito sobre o assunto, ou nem sequer ouvem sobre aquilo.

É claro que mesmo antigamente haviam pessoas que diziam não existir aquilo que não se enxergava. Hoje em dia, mesmo com a ciência avançada provando várias coisas, ainda são muitas as que dizem a mesma coisa. Por isso, dizem ser uma crendice barata falar de laços do passado ou de iluminação futura, e fazem de bobo aqueles que nisto acreditam.

Porém, há uma célebre frase que diz o seguinte:

¨O homem não passa de um caniço, o mais fraco da natureza. Mas é um caniço pensante.¨ (Blaise Pascal)

O homem é apenas uma micro existência, como uma fraca vareta, porém é pensante. Tenta entender aquilo que não entende, e é nisto que está a dignidade do homem.

Na verdade, se o homem tivesse desistido de entender as coisas achando que não é possível entender nada, talvez não haveria o progresso da atual humanidade.

Para nós, há uma série de coisas que não compreendemos mesmo nos ensinamentos de Buda. Porém, o importante é que nós fiéis e devotos dos mestres Buda e Nitiren procuremos compreender seus ensinamentos, mesmo as coisas que não entendemos, sem desistir disto.

Mas então, como é que nós devemos fazer?

Dois dias antes de partir do Japão para o Brasil desta vez, eu li um texto do bispo Nagamatsu Seijun, e era um texto com o título ¨Sobre a minha Ordenação¨ escrito pela sacerdotisa Myouyou Yoshikawa, aqui do Nikkyoji.

No texto, estava escrito:

“Um dia, eu precisei de algo em que acreditar. Minha avó ficou doente. Minha família mora numa outra cidade, e não havia nada que eu pudesse fazer por eles. Eu não tinha escolha. Como o oratório da minha casa era grande, não era possível ignora-lo. Então eu sentei em frente a ele, e orei o Odaimoku. Eu estava me sentindo extremamente triste e fraca, mas eu me voltei ao Gohouzen com toda a minha sinceridade.

E, minhas preces se concretizaram. E minha fé me fez ficar mais forte.

 O Odaimoku mudou meu coração. Desde então, comecei a perceber que o Darma Sagrado está presente em cada pequeno detalhe, coisas que não percebia antes, passei a perceber. A chuva que cai na hora certa. Um encontro inesperado que trouxe solução para uma angústia. Um contratempo que causou uma feliz coincidência. Um momento a mais que pudemos viver com alguém que amamos.

Parecem coisas tolas, mas na verdade, tudo é uma benção. Porém, as pessoas não se dão conta disto. Eu queria que as pessoas soubessem disto. Eu queria que as pessoas tivessem a oportunidade de perceber que todos nós somos ligados por uma linha invisível que nos une.”

É exatamente isto que seria colocar em ação os ensinos de Buda e do Grande Mestre Nitiren. Caso os ensinos de Buda tivessem que ser assimilados pela nossa inteligência, pessoas que não tem esta capacidade, nunca conseguiriam, não é verdade?

Porém, o que fez a Myouyou-shi? Ela simplesmente orou o Namumyouhourenguekyou com toda a força, com concentração total. Qualquer pessoa pode realizar isto. Com isto, a sua prece foi concretizada, e assim pôde perceber algo que não tinha percebido até agora. Percebeu a compaixão de Buda, o sentimento de gratidão, o “Arigatougozaimassu” da Butsuryu-shu, de como era bom estar viva. Ou seja, percebeu que possui a melhor vida possível, dentro da Lei de Causa e Efeito que Buda ensinou. E ela disse que quer agora transmitir isto às outras pessoas.

Sacerdotes e fiéis do Brasil, por que será que sacerdotes tão alegres como aqueles, que eram tão esforçados nos gohoukous, tiveram que falecer num acidente trágico? Por quê?? Não é possível saber! Mas, não podemos desistir! Por mais que seja duro, doloroso, difícil, até conseguirmos entender, é importante fazer como fez a Myouyou-shi de trilhar este caminho pela fé. Por favor, pensem ¨Vou orar, orar e continuar orando¨. Os nossos mestres e os fiéis mais antigos, com certeza, fizeram assim para vencer os sofrimentos da vida pelos quais passaram, e é por isso, que hoje temos a Honmon Butsuryu-shu do Brasil. O fundador do Budismo no Brasil, Ibaragui Nissui Shounin, teve que se separar da sua querida esposa, os dois ainda em vida! Em pleno Oceano Atlântico, e assim, a sua esposa teve que ficar no Japão sem poder voltar para se reencontrarem. Como deve ter sido duro! Como os dois devem ter chorado, derramado lágrimas e lágrimas, um pelo outro!

O Grande Mestre Nitiren Daibossatsu nos ensina na seguinte citação:

¨Não há outra alegria senão a de devotar ao Sutra Lótus. Isto é o que significa paz no presente e renascimento afortunado. Quando vem as adversidades do mundo, não há outro jeito senão bater de frente com eles. Mesmo o sábios e mestres não tem como fugir disto. Apenas beba um saquê com sua esposa (aproveite o momento), e ore o Namumyouhourenguekyou. O sofrimento, veja como sofrimento. A alegria, veja como alegria. Reúna então os sofrimentos e as alegrias, e ore o Namumyouhourenguekyou. Receba a tranquilidade do Darma Sagrado. Para isto, mais e mais, crie a forte e inabalável força da fé¨

E assim foi dito.

Mesmo o devoto do Odaimoku tem sofrimentos. Mesmo aqueles que são ditos sábios ou mestres, não conseguem fugir dos sofrimentos. E é por isso que, nós oramos, e incentivamos a família e as outras pessoas a orarem, nas tristezas e nas alegrias.  Fazendo-se assim, certamente, aquele ¨Mas por que? Mas por que?¨, passará, e chegará o dia em que possamos compreender aquilo. Por isso, o Grande Mestre Nitiren Daibossatsu nos ensina na citação que é nos momentos de tristeza que devemos, ainda mais, despertar uma forte fé e continuar orando.

Portanto, assim como Nitiren nos ensina, sacerdotes e fiéis do Brasil, vamos neste período triste e sofrido, todos nós orarmos juntos com ainda mais união. Certamente, o Gohouzen, os mestres Nitiren, Nissen, Nissui Shounin, e Kyouryu-shi, Hakuze-shi e Kyoushou-shi estarão protegendo-nos em nossos caminhos.